10 de novembro de 2010

Desconforto de Uma Tarde de Sol

Acredito que hoje foi um dos últimos dias de sol e lindo céu azul do ano. Yep, chove demais nessa ilha! Chove tanto que a umidade chega a ficar acima de 95%! Parecido até com o cerrado né! É por isso que eu falo que aqui tem 2 estações: a de muita chuva e a de pouca chuva.

Então, apesar do grande, imenso desconforto que eu tava sentindo devido a um probleminha que me apareceu há uns dias e que tem me feito ficar sentada em uma almofadinha com um furinho no meio....não preciso ser mais explícita, eu troquei de roupa e fui até o Huton, que é um dos parques da cidade.

Eu adoro esse, principalmente porque ele é pequeno, mas cheio de vida e de cor! Por um milagre o parque não estava lotado, só estava cheio e cheio de criança fazendo pic-nic, churrasquinho, etc... Uma coisa é certa, se tem Taiwanes por perto, tem comida!

Uma das coisas que mais me agrada no Huton, é o templo de Confucius, o famoso filósofo Chinês. Um lugar lindo, calmo, silencioso e com uma energia fantástica. Eu adoro a cor vermelha das colunas dos imensos corredores do templo.  É um lugar de extrema paz!

Então, peguei tudo que eu precisava e lá fui eu fugir da mesmice de ficar em casa a semana toda. Fui ler no Huton! Esse parque não é muito longe de casa, tipo uns 10 minutos se o trânsito estiver decente. Cheguei lá, estacionei e fui eu com a minha bolsa cheia de coisas pra me distrair por algumas horas. Peguei livro, bloco de anotação, água, caneta, lápis, óculos, frutinha...e esqueci o principal...a bendita almofadinha!!

Yep, brabo! Põe brabo nisso!!

Achei uma mesa num lugar mais reservado, longe da fumaça do churrasquinho mais não muito longe do barulho das crianças.  Armei meu circo e tava toda feliz...por no máximo uns 30 minutos. Meu Deus, como a almofadinha fez falta. Não tinha posição confortável pra eu me sentar.  Que situação difícil! Não tive outra alternativa a não ser desmontar o circo e voltar pra casa. Aném viu, vou te falar!

Coloquei a tralha na bolsa e comecei a caminhar em direção ao estacionamento. O ato de não estar sentada deu uma aliviada na dor e então dei uma passadinha no templo pra tirar umas fotos. Nos primeiros clics, a bateria deu sinal que tava pifando e eu não tinha trazido nenhuma bateria reserva. Well, o objetivo do passeio era ficar lendo por horas...
A bateria durou exatamente o tempo do conforto passar....

Fazer o que né?! Dor é algo que tira o sorriso de um passeio. Não dá mesmo pra ser feliz com um incomodo desse, mesmo com o céu azul abraçando um dia lindo. O plano era passar num café depois, mas quem disse!
Aí entra  famosa frase do Pe: um problema sem solução já tá resolvido! 

Parque Huton

Parque Huton


Parque Huton e Templo de Confucius



Templo de Confucius



Esse vermelho conversa com meu coração





Portal da entrada principal do templo

2 comentários:

Paulo Cardieri disse...

Oi, Leandra!

gostei do teu blog! Outro dia volto para escreve mais.

Beijao!

Paulo Cardieri

caminhos que me levam disse...

querido paulo,

cê é sempre muito gentil!
saudade do c6e!

beijos