23 de abril de 2011

Dylan na Ásia

Domingo dia 10 de abril, Pe e eu fomos ao show de Bob Dylan. Só de pensar eu arrepio! Wow, Bob Dylan! O cara está nas paradas há mais de 50 anos. Tem que respeitar!
Fiquei sabendo do show somente no Sábado! Eu não sei se a galera que trabalha com divulgação de shows e atividades culturais de Taiwan é devagar ou se não ficar sabendo de um show do Bob Dylan em Taiwan é parte da barreira comunicativa que eu enfrento por não falar a língua. Eu leio jornais locais, em inglês lógico, e nem uma linha dedicada a esse acontecimento único.

Bão, o que importa é que eu fiquei sabendo e no Domingo de manhã vazamos pra tentar achar ingresso. Tivemos que ir à Taipei devido a desinformação do quiosque da Nova, shopping de eletrônicos onde eu comprei ingresso pra assistir Tears For Fears. A menina chegou a ligar num telefone que eu mesma passei pra ela,  valei-me meu santo Google, e disse que os ingressos seriam vendidos somente à partir das 5:30 da tarde. Como a gente já sabe que informação correta não é o forte do Taiwanes, chegando em Taipei fomos direto para Taipei Arena, onde foi o show. Lá ficamos sabendo que é possível comprar ingressos no 7/11, rede de conveniência estadosunidenses que fica aberta 24 horas por dia durante os 365 dias do ano e que pra comprar lá mesmo na boca do caixa só mesmo as 5:30 da tarde. Ok, informação semi-errada. Meio-crédito pro 0800.

O que é legal é que tem 7/11 em quase toda esquina e a menos de 100 metros tinha um, dentro mesmo da Arena. Se tem uma coisa que Taiwanes tem vapor, é perder tempo. Fomos lá comprar o danado. Só em uma máquina, tipo ATM de banco. Detalhe, só em chinês! Uma das funcionárias falava um pouco de inglês e foi uma mão na roda.

Ingresso na mão, coração pulando por causa da ansiedade de ir a um show do grande Bob Dylan, fomos para o Costco, um supermercado como o Macro. Lá é um dos raros locais onde a gente tem certeza que está comprando produtos com sabor original sem absolutamente nada adulterado.

Taipei está a 22Km de casa, então ainda eram 5 da tarde e Pe e eu decidimos voltar, rangar, tomar banho e voltar à Taipei pra assistir ao show. 

Na estrada, meu coração sofria pra conter a ansiedade.

O show foi maravilhoso mas com um pequeno detalhe que fez e faz esse mesmo coração que sofria, ficar apertado toda vez que eu penso no que aconteceu... o danadinho do Bob Dylan é famoso pelo péssimo humor, e por não estar nem aí para o público. "Hello" foi a única coisa que ele falou pra galera que lotou o ginásio e olha que saiu tremido. Well, mas saiu. Não não é isso que faz meu coração ficar apertado. Foi até pitoresco!


O show foi todo, TODO, somente de músicas recentes. Isso quer dizer que ele não cantou os grandes sucessos que fez o mundo tremer por décadas. Well, cantar ele até tentou...

Coração a mil...



Dylan e seu visual Zorro


O show durou quase 2 horas, e foi perfeito! A iluminação foi o único recurso de palco e não precisou de mais nada! Ele cantou, naquele estilo todo próprio dele que mais parece declamar que cantar e que arrasa. Aquele voz rouca, ainda mais rouca pelo tempo faz arrepiar mesmo, não tem jeito.

A gente estava sentado relativamente perto do palco e teve uma hora que eu invadi mesmo. Fui lá pro gargarejo pra terror dos seguranças. Hehehehe Saudade dos shows do UTC...

Então, Bob Dylan cantou e encantou mas deixou muita gente na saudade... A útima música foi percebida que era a última quando ele acabou de cantar e saiu do palco sem falar nem um simplório "Bye". Como eu já disse a única palavra proferida foi "Hello". Quando a multidão de fãs sacou que o show tinha acabado, a galera foi a loucura porque apesar do show ter sido lindo, ficou um buraco....e "Blowing in the Wind" e "Like a Rolling Stone"??? Como que ele tem a coragem de esperar a vida toda pra fazer show em Taiwan e China e não canta esses clássicos que é na verdade a razão pelo qual todo mundo foi a Arena naquela noite?? Como assim?? Mas nós insistimos e ele voltou. Emburrado mais voltou!

E cantou esses dois grandes sucessos...melhor, ele declamou esses dois grande sucessos. Se eu não soubesse a letra, com certeza eu não teria percebido que o bis foi pra satisfazer a fome de passado dos milhares de estrangeiros e Taiwaneses que ali estavam. Ele fez um arranjo tão inusitado que realmente não dava pra identificar que música Dylan cantava. Mas o lance é que o cara quando é bom e quando é ícone pode fazer a pirraça que quiser que a gente aceita de boa.
As músicas, verdadeiros hinos de protestos dos Direitos Civis nos Estados Unidos, fizeram desse cara, nascido no estado de Minnesota, um ídolo mundial e assim sempre será.

Eu, e todo mundo que estava ali naquela hora, gritei bonito quando Dylan blowed the answer in the wind like a rolling stone!  O olho cheio d'água, a garganta trancada pela emoção vivida naquele instante mágico!


video
 Like a Rolling Stone...

O show foi encerrado, as luzes foram acesas e a gente voltou pra casa com um olhar diferente porque the answer my friend, is like a rolling stone!

Nenhum comentário: